Descrição:

Data:
 2012
Autor(es):
Ivan Serra Braga

Resumo

O ano de 1859 certamente ficou para sempre cravado na memória de todos os naturalistas do mundo: foi o ano da publicação da primeira edição de “A origem das espécies” de Charles Darwin.
O impacto desta obra não foi tanto científica quanto foi moral. Temos que perceber que para os cientistas, pensar a natureza como um processo, por assim dizer, transformista não apresenta nenhum conflito. Isto fica muito claro no postulado de Lavoisier: “Na natureza nada se cria, nada se perde. Tudo se transforma”.
O impacto da “Teoria da Seleção Natural” de Darwin, contudo, como já dissemos, foi duramente sentido no campo da moral. Doravante, se o homem é resultado de um processo aleatório de variações ele, então, é produto do acaso; de um jogo de forças naturais cegas. Tal nos coloca diante da possibilidade da refutação da existência de Deus e, em fazendo-o, nos coloca igualmente diante da necessidade de repensarmos a moral e a questão da origem do bem e do mal, nos forçando à busca de novos fundamentos para entendermos e avaliarmos o comportamento humano. Se o século XVIII havia, pelos iluministas franceses, refutado a moral deontológica cristã, o século XIX trazia agora a fundamentação científica para esta refutação. Darwin havia dotado os ateus com sua mais eloquente arma contra todo obscurantismo e misticismo das crenças e da metafísica.
No livro, é questionado o excesso de confiança na teoria de Darwin (e, por extensão, no próprio método científico), a qual, a despeito de ser uma poderosa ferramenta na explicação da origem das espécies e inspiração para qualquer hipótese naturalista acerca da origem do cosmo e da vida, é altamente questionável e, até mesmo, refutável, ao mesmo tempo em que é retomada a metafísica como uma fronteira com a qual a ciência ainda terá que conviver.

Sobre o Autor

IVAN SERRA BRAGA
Graduado em Ciências Econômicas (1999) e em Filosofia (2009) pela Universidade Metodista de Piracicaba, mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2003) e doutorado em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (2006), atualmente é professor do ensino médio no Sistema Anglo de Ensino e professor da Faculdade Tecnológica de Piracicaba – FATEP, lecionando as matérias de Filosofia, Sociologia Aplicada e Comunicação Empresarial.